Private Area
News

A Oikos está a apoiar o processo de formalização do direito de uso e aproveitamento de terras agrícolas em Nampula. Esta semana foi entregue o processo técnico com parecer positivo da Associação de Produtores Munla Mmale ithu murropuanha de Metapa Liúpo, sinal que este está prestes a ser finalizado e que os produtores terão de forma oficial o direito ao uso das terras onde praticam agricultura desde sempre.

Relatório e Contas Oikos 2019

Monday, 31 August 2020

Partilhamos com os nossos doadores, associados e parceiros o Relatório de Atividade e Contas da Oikos de 2019.

Na continuidade do trabalho de apoio das comunidades piscatórias de São Tomé e Príncipe, acabámos de entregar e inaugurar três espaços que servem de loja e sede para Associações de pescadores.

Dia Mundial Acção Humanitária

Wednesday, 19 August 2020

"O trabalho da Oikos em Acção Humanitária não reside apenas no esforço em salvar vidas, aliviar sofrimento ou ajudar a manter a dignidade humana. Para a Oikos, a acção humanitária é a primeira fase de um processo de desenvolvimento, contínuo e sustentável, através do qual as próprias populações desenvolvem capacidades que lhes permitam reduzir as suas vulnerabilidades para resistir e enfrentar os impactos de ameaças externas, sejam elas naturais ou humanas."

Ricardo Domingos, Director de Operações da Oikos

 

Para a Oikos, os dois pilares fundamentais da acção humanitária são a assistência e a protecção. De uma forma geral, toda a acção humanitária contribui para assistir e proteger as pessoas mais vulneráveis perante uma situação de emergência, verificada ou potencial.

Uma emergência é sempre uma situação extraordinária, presente ou iminente, na qual existem ameaças sérias e imediatas à vida humana e/ou aos meios de vida sustentáveis que fornecem o suporte a uma existência digna. Contudo, nem sempre é evidente o que constitui uma situação de emergência. O mesmo fenómeno pode causar impactos muito diferenciados, devido aos distintos graus de vulnerabilidade ambiental, social e económica das populações atingidas.

 

Em que situações a Oikos desencadeia uma resposta de Acção Humanitária?

Os critérios que habitualmente a Oikos segue no processo de decisão são:

» nível de necessidades, avaliadas segundo referenciais técnicos;

» espaço humanitário, cobertura das necessidades por parte de outras entidades;

» a existência ou não de um apelo internacional ou de um pedido das autoridades locais competentes à assistência internacional;

» a nossa capacidade de intervenção, tendo em consideração: conhecimento do terreno e dos sectores de intervenção prioritários, a existência de recursos financeiros acessíveis, a capacidade operacional própria e/ou através de parceiros locais e internacionais, o acesso às populações mais necessitadas e, finalmente, critérios de segurança para equipas e meios da Oikos.

 

A resposta humanitária da Oikos em 3 fases

A resposta humanitária da Oikos estende-se por três fases, dependendo das circunstâncias e do momento:

1- Emergência

2 - Reabilitação

3 - Preparação e prevenção de catástrofes

 

É fundamental, numa lógica de desenvolvimento sustentável, entender a acção humanitária como um inicio de continuum ou como um processo de preservação ou de reparação, no mais curto espaço de tempo possível, das condições e dos meios de subsistência dos mais vulneráveis.

Até sempre Maria do Carmo Bica

Tuesday, 18 August 2020

Maria do Carmo Bica (1963-2020)

 

Faleceu esta segunda-feira Maria do Carmo Bica, uma das vozes que mais se bateram ao longo das últimas décadas pelo combate ao abandono do interior e pelo associativismo local, particularmente na região de Lafões.

Page 1 of 181

  

Follow Us

 

Actions and Events

September 2020
S M T W T F S
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 1 2 3