Área Reservada
 
Cuba 1 1

Cuba

Área total: 110,860 Km2
População: 11.087.330
IDH rank: n.a.; IDH valor: n.a.
População abaixo da linha de pobreza: n.a.
PIB per capita: 9.900 USD
Esperança de vida: 77.7 anos
Taxa de analfabetismo M: 3,2%
Taxa de analfabetismo H: 3%
Taxa mortalidade infantil: 4.9/1.000
Taxa de fertilidade: 1.44 crianças/mulher
Acesso a água potável: 91%

Cuba

Cuba passou, durante as últimas décadas, por várias alterações de âmbito político, económico e social. Episódios ocorridos na década de 50, como o crescimento da contestação dos movimentos estudantis, a Revolução Cubana que viria a aproximá-la da ex-URSS e confrontá-la com os EUA e o consequente bloqueio económico decretado em 1962 pelo governo norte-americano ao governo de Fidel Castro.

 

Nos anos 90, o modelo económico cubano enfrentou alguns dos seus maiores desafios, entre os quais os escassos investimentos estrangeiros no país e a desaceleração económica, resultante do embargo norte-americano e da retirada dos subsídios por parte da ex-URSS, com a queda do bloco soviético. O turismo e o sector agrícola (sobretudo o cultivo de cana-de-açúcar nas regiões orientais da ilha) são uma das fontes de riqueza, existindo a pretensão de diversificar mais a produção agrária do país.

 

Tendo um PIB com uma média anual de crescimento de 3,8% em 2003, foi notória em 2005 a pretensão de impulsionar o crescimento económico, apesar das contrariedades existentes. Criaram-se medidas de política monetária com o intuito de fortalecer a moeda nacional, através da crescente substituição e desencorajamento à utilização do dólar no comércio interno. Foram, de igual forma, tomadas medidas sociais orientadas para os grupos mais carenciados e vulneráveis.

 

A par das questões económicas, também as de ordem social e o sector da saúde são cada vez mais uma área de intervenção do governo cubano, possível de confirmar pela melhoria do sistema educativo - uma taxa de matrícula no ensino primário de 96% (2001/02), o consequente aumento do número de alunos a atingir o 5ºano e o aumento percentual da literacia que passou de 93,3 em 1990, para 99,8 em 2005.

 

Têm, também, sido tomadas medidas para garantir a equidade do género, permitindo o aumento de mulheres em sectores que não o agrícola e garantindo a igualdade de direitos em relação aos homens.

 

No que diz respeito ao sistema de saúde, o acompanhamento durante a gravidez e os partos é cada vez mais efectuado por pessoal competente e o combate às doenças graves tem apresentado resultados satisfatórios. Os casos de Tuberculose diminuíram entre 1994/2001 de 15 em 1994, para 7 por cada 100 mil habitantes em 2001. A mortalidade infantil, por cada mil nados-vivos, diminuiu de 11 em 1990, para 6 em 2003. As entidades cubanas deverão, no entanto, continuar a dar mais atenção ao combate ao VIH/SIDA e às questões de sustentabilidade ambiental.

 

Ao nível da afirmação internacional – necessária para contrabalançar o efeito do bloqueio americano – Cuba tem procurado reforçar os acordos regionais. Destacam-se os acordos celebrados com a Venezuela, inseridos no Plano Estratégico para a Aplicação da Alternativa Bolivariana para a América (ALBA), bem como outros celebrados com países latino-americanos e com a China.

 

Fonte: Human Development Report - UNDP; The World Factbook; Human Development Report - UNDP

  

ModeloAnuncio EmergenciaMZ19_meiapg

A Oikos no Mundo

Trabalhamos com comunidades de regiões e países mais pobres, promovendo a saúde pública, alimentação, água, saneamento e educação.

Onde estamos...
Onde estivemos...
 

Siga-nos

 

Participe em Ações e Eventos

Maio 2019
D 2a 3a 4a 5a 6a S
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31 1