Área Reservada

Líderes Mundiais têm que parar de alimentar desigualdades

Segunda, 22 Julho 2019 12:53

A Oikos acaba de subscrever uma carta aberta juntando-se ao crescente movimento global para combater a desigualdade. Somos um grupo de organizações da sociedade civil com milhões de membros de diferentes países e origens. Queremos chamar a atenção para o fracasso da abordagem atual dos governos e para estabelecer uma visão para uma mudança radical.

A liderança tem que vir das pessoas que estão na linha de frente da desigualdade, não dos políticos. Governos e líderes devem seguir essa visão para uma verdadeira #lutacontradesigualdade.

 

Desafiamos também outras ONGs em Portugal a juntarem-se a este movimento!

Enquanto governos e líderes do mundo inteiro se prepararam para grandes encontros e reuniões nos próximos meses - desde o fórum político de alto nível da ONU em Nova York, ao encontro do G7 até à Assembleia Geral da ONU - o combate à desigualdade estará novamente no topo da agenda. Mas são estes mesmos políticos que estão a falhar nesta luta.

 

Estamos perante uma encruzilhada. Podemos optar por ficar num caminho que leva a uma divisão cada vez maior entre ricos e pobres, destruindo o nosso mundo. Ou podemos escolher um mundo melhor.

 

Nós optamos por um mundo melhor. Não vamos ficar dependentes de políticos para agir, porque estão a falhar as suas promessas. E não vamos esperar que os mais ricos e poderosos simplesmente desistam dos seus privilégios e riquezas. Sabemos que as respostas estão em nós.

Em todo o mundo, as pessoas estão a unir-se para exigir maior igualdade e o fim da riqueza extrema. Acreditamos que outro mundo é possível, onde todos são importantes e respeitando o planeta. Um mundo onde ninguém é rico ou poderoso o suficiente para estar imune às regras. As corporações e elites poderosas não podem continuar a ser autorizadas a defraudar o sistema a seu favor. Para conseguir essa mudança, vamos desafiar em voz alta a concentração de poder nas mãos de uma pequena elite e vamos exigir um mundo mais igualitário. Na construção do mundo que queremos, sabemos que não haverá nada sobre nós sem nós.

 

Nesta carta pode ler-se:

 

“A desigualdade está a alimentar as injustiças em diferentes contextos: saúde, educação, tributação, direitos dos trabalhadores, propriedade de terra, direitos das mulheres e direitos humanos. A desigualdade está a destruir o nosso planeta e a agravar a crise climática.

Acreditamos que os nossos líderes muitas vezes alimentam a desigualdade. Muitas vezes optam pelo caminho do fascismo, racismo e sexismo. Muitas vezes escolhem o ódio e não a esperança.

A desigualdade prejudica-nos a todos – ameaça as nossas democracias, corrói a nossa política e prejudica a nossa economia. A desigualdade causou uma elevada concentração de riqueza, enquanto centenas de milhões passam fome.

Queremos sociedades que proporcionam saúde, educação e água para todos, não apenas para os mais ricos. Isso significa que a promoção da água, educação e os cuidados de saúde privatizados devem terminar, apoiando os serviços públicos universais gratuitos.

Não podemos e não ficaremos parados para ver o nosso mundo ser destruído por uma elite. Nós queremos construir um mundo que tenha em consideração as necessidades de todos, mas para o fazermos temos que parar de ajudar a avareza de alguns. Junte-se a nós!


Consulte aqui a carta na íntegra, bem como todos os signatários.

 

Acompanhe o movimento #fightinequality: www.fightinequality.org

 

together fightinequality

 

  

Siga-nos

 

Participe em Ações e Eventos

Outubro 2019
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31 1 2