Área Reservada
 
4d08

Projecto no Peru, Equador

 

Beneficiários: 7.360 pessoas (1.600 famílias)

Data de Início: Jun.2005

Data de fim: Out.2009

   

Programa Binacional (Peru e Equador) para a conservação e gestão participativa dos bosques tropicais no Chinchipe (2005-2009)

 A Oikos conclui projecto de 4 anos - de 2005 a 2009 - no Peru e Equador para promover a conservação das florestas tropicais da bacia binacional do Chinchipe.

 

Foram beneficiadas um total de 7360 pessoas, correspondendo a cerca de 1600 famílias.

 

As crises políticas vividas no Peru e Equador nos últimos anos exacerbavam a pobreza dos sectores rurais, contribuíndo para um aumento do processo de emigração da população camponesa da zona andina que, por falta de outras oportunidades económicas, ocuparam e desflorestaram as zonas marginais da floresta com o objectivo de extrair madeira e instalar culturas temporárias.

 

A exploração florestal encontrava-se a cargo de inúmeros pequenos madeireiros que, com a tentativa de manter o sustento familiar, desenvolviam uma actividade ilegal e depredatória, arriscando a sustentabilidade da sua actividade económica. As instituições locais, por sua vez, contavam com insufiente preparação e recursos para fazer frente a estes problemas.

 

Todas estas restrições geravam uma espiral que desmotivava os habitantes que dependiam da gestão adequada e da conservação da floresta, motivo pelo qual os países andinos perdem centenas de milhares de hectares de floresta tropical a cada ano e como tal, assistem a uma diminuição do seu capital natural.

Para fazer face a este problema a Oikos e os seus parceiros locais ITDG, Fundação FACES e Cáritas Jaén, executaram um projecto que criou um modelo de gestão sustentável de florestas na bacia binacional do Chinchipe com plena participação da população local.

 

Os resultados foram:

» Camponeses e produtores florestais da bacia aumentaram as suas capacidades para gerir de forma sustentável os recursos florestais.

» Os Governos locais e a sociedade civil da bacia binacional estabeleceram mecanismos participativos e espaços de concertação para fortalecer o manuseamento e conservação dos recursos florestais.

» As Instituições locais e regionais melhoraram o conhecimento do potencial florestal da bacia a que pertencem. Foi produzida e difundida informação relevante à boa gestão das florestas tropicais nos países andinos amazónicos.

 

Alguns exemplos concretos...

» A autoridades e províncias utilizam a informação gerada pelo projecto nos seus planos de investimento.

» Identificaram-se produtos com potencial de comercialização: laurel, bambu, cascarilla e café de conservação.

» As populações locais gerem de forma sustentável mais de 600 hectares de florestas.

» Estabeleceram-se alianças com autoridades educativas para desenvolver uma proposta de educação ambiental.

» Pelo menos 600 famílias melhoram o seu potencial de receita familiar graças à inclusão da componente florestal dentro dos seus sistemas de produção.

» 25 sócios de uma organização de madeireiros de San Francisco estabeleceram relações com vista à comercialização directa da madeira.

» 50 promotores formados pelo projecto prestaram assistência técnica na instalação dos viveiros e na mudança para campo definitivo dos rebentos.

  

ModeloAnuncio EmergenciaMZ19_meiapg

Siga-nos

 

Participe em Ações e Eventos

Maio 2019
D 2a 3a 4a 5a 6a S
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31 1